Through Foreigner Eyes com Tendelle de Travel à la Tendelle

Setembro apenas começou, e vamos comemorar isso com outra entrevista! Este mês, na série Through Foreigner Eyes, temos conosco Tendelle, que nos contará como foram suas experiências como um expatriada americana vivendo no….adivinhem…Brazil yaaay! Tendelle passou um ano em uma das minhas cidades favoritas, São Paulo, vamos ver o que ela tem pra contar!

Nos conte um pouco sobre vocês, quem é você e de onde veio?

Oi gente! Meu nome é Tendelle. Eu nasci na Califórnia mas já morei em varias cidades na minha vida: Taipei, Boston, Nova Iorque, Barcelona, Amsterdã… e claro, também no Brasil! Eu morei e viajei no Brasil durante um ano. A maioria do tempo no pais eu morava em São Paulo.

O que te trouxe para o Brasil?

Eu já sabia à alaguns anos que eu queria morar no Brasil. Por isso eu aprendi português na universidade. Para mim, poder ir no Brasil e morar lá foi um sonho grande realizado! Depois de terminar a faculdade, eu trabalhei numa consultoria em Nova Iorque. A empresa me mandou ao Brasil porque o nosso cliente era um banco grande em São Paulo.

Você quer saber porque eu queria tanto aprender o português e morar no Brasil? Então, como eu estudei economia na faculdade, me interessava muito as economias emergentes e achava que o Brasil era “o pais do futuro”! Queria estar dentro, por isso foi importante para mim aprender português para poder trabalhar no Brasil algum dia.

Quando eu expliquei isso aos meus amigos brasileiros, eles acharam muito engraçado! Disseram, “Sim, o Brasil é o pais do futuro… e sempre será!” Apesar do estado da economia atual no Brasil, me dei conta rapidamente das verdadeiras razões que eu queria ficar no Brasil: sua cultura aberta, sua atitude positiva, e sobretudo, seus cidadãos afetuosos e receptivos. Eu fui para o Brasil devido a minha curiosidade pelo pais, mas eu fiquei aí e voltei várias vezes pelas pessoas.

Quais eram suas expectativas antes de vir ao país?

Na verdade, o único conhecimento que eu tinha do Brasil era do Rio, então imaginei que São Paulo seria parecido… com praias, morros, muito sol, e pessoas bronzeadas! Obviamente me surpreendeu um pouco quando cheguei a São Paulo e vi que já viajei duma “selva de concreto” (Novs Iorque) para outro! Em realidade, eu amei a vibe cosmopolita de São Paulo. Achei muito legal a cidade porque tem muita comida boa, vida noturna animada (como amante de techno, adorei D-Edge), e sempre tem algo para fazer. Depois de ter visitado o Rio, dei conta que eu preferi São Paulo muito mais! As pessoas de Sampa são mais trabalhador, mais sincero, e não vivem tanto de aparências.

Qual foi sua primeira impressão do Brasil?

Primeira impressão: São Paulo tem muitas pessoas e um monte de carros!!!

Me impressionou bastante que os metros chegam cada 2 minutos ou menos. Eu já viajei bastante e conheci muitos sistemas de metro do mundo, como em Londres, Madrid, Nova Iorque, Tokyo… mas achei que São Paulo tem muito mais metros em comparação. Isso só mostra a população enorme da cidade!

Você teve algum choque cultural? Qual?

Sim, muitos! Me surpreendeu que São Paulo é uma cidade com pessoas tão diversas. Eu sou americana mas com descendência do Taiwan, e me surpreendeu bastante saber que existem tantos brasileiros que são asiáticos, de descendência japonesa. Até existem baladas japas!

Nos Estados Unidos, temos muitos asiáticos, mas a maioria é da primeira geração. Então normalmente os pais dos meus amigos não falam bem inglês e os avós deles não falam nada de inglês. Ao contrario, no Brasil os japoneses já moram lá a mais de cem anos! As vezes nem os avós dos meus amigos nipo-brasileiros falam japonês, só português. Era muito curioso para mim observar os avós japoneses falando português de nível nativo com os amigos idosos brasileiros deles. Isso nunca acontece nos EUA, tem menos integração das culturas lá. Porque o pais é tão diverso, os brasileiros não pensam automaticamente quando veem a minha aparência que eu não sou brasileira. Quando eu estou no Brasil, eu sinto muito confortável e tenho a sensação que eu pertenço à sociedade.

Outro choque cultural que eu sofri, é meio engraçado… a cultura das baladas!! Em particular, a rapidez que os brasileiros podem se beijar. As primeiras vezes que eu sai nas baladas, fiquei muito chateada. Eu falava durante menos dum minuto com os meninos, e eles já queriam ficar comigo! Depois de uns dias de confusão eu descobri que isso parte da cultura do Brasil, é assim que paqueram e um beijo é quase que como um aperto de mão. Apesar de entender isso, eu ainda não consegui me integrar com essa parte da cultura… eu preciso conhecer melhor uma pessoa antes de poder beijar!

O Brasil é definitivamente um país muito diversificado, temos a maior comunidade japonesa fora do Japão, além de muitas outras grandes comunidades estrangeiras, é muito difícil adivinhar quem é brasileiro e quem não é, mesmo que esteja falando em sua língua nativa, a maioria de nós simplesmente assumiríamos que você é uma brasileira que aprendeu a falar o idioma da sua família haha

Qual seu local histórico ou cultural favorito?

Eu amei Liberdade! Foi muito legal ter um pedacinho do Japão e da Ásia justo no centro de São Paulo. Tem uns restaurantes taiwaneses muito bons que fazem eu me lembrar de casa. Tea Station Brasil é uma casa de chás que tem chá de bolhas, uma bebida muito típica do Taiwan. Chá de bolhas é um chá com leite e bolinhas de tapioca. São muito gostosos, devem experimentar! O Restaurante Sweet Heart é um restaurante taiwanês com ótima comida. Também tem muitos restaurantes japoneses e chineses no bairro, e a feirinha de final de semana na Praça da Liberdade também é bastante divertida.

O que você mais sentiu falta quando foi embora?

Eu amo o churrasco brasileiro!!! Minhas carnes preferidas são coração e picanha. Claro, eu também sou viciada nas caipirinhas. Não conseguem servir caipirinhas iguais nos Estados Unidos. Além disso, eu também sinto muito a falta de todas as pessoas afetuosas, divertidas, e maravilhosas que conheci no Brasil, que me abraçaram como família e asseguraram que eu me sentisse muito bem-vinda no país deles!

Se você pudesse adicionar qualquer coisa do seu país no Brasil, o que seria?

Tô tentando muito dizer algo mas não consigo… eu amo o Brasil como ele é!

Você pode encontrar mais sobre a Tendelle aqui:

Blog: travelalatendelle.com/

Instagram: www.instagram.com/travelalatendelle

Você é um expatriado que deseja compartilhar conosco suas opiniões sobre sua nova casa, envie um email para worldbyisa@gmail.com com o assunto “Through Foreigner Eyes”.

Written By
More from Isadora

Machu Picchu: Tour Privado com Peru Travel Explorer

Procurando uma maneira de chegar no Machu Picchu, encontramos muitas opções de...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *